A precisão e a originalidade da técnica









Padronização e normas

abntCom o objetivo de transformar o desenho técnico em linguagem gráfica e padronizá-lo surgiram normas internacionais usadas no mundo todo. Elas são uma espécie de guia que facilita a compreensão de desenhos e projetos de pessoas de nacionalidades diferentes, simplifica processos de produção e unifica as características de um objeto, permitindo a substituição por outro.
 
Foram criadas pelos interessados em estabelecer códigos que regula as relações entre consumidores, produtores, engenheiros, clientes e empreiteiros. Cada país elabora suas normas e, no Brasil, elas são editadas e aprovadas pela ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, criada em 1940.

Os órgãos responsáveis por essa normalização em cada país criaram a Organização Internacional de Normalização (International Organization for Standardization – ISO), em 1947, Londres. É essa norma que facilita o intercâmbio de produtos e serviços entre as nações. Quando os membros da ISO de cada país se reúnem, e a norma criada é aprovada, eles organizam e editam-na como norma internacional.

Após a edição da ABNT, as normas são registradas no Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial -  INMETRO como normas brasileiras -NBR para estar de acordo com as normas internacionais  aprovadas pela ISO.
 
Normas da ABNT

Como citado acima, a ABNT normaliza a execução dos desenhos técnicos. Para isso, os procedimentos adotados abordam desde a denominação e classificações dos desenhos até a representação gráfica.

A norma geral do desenho técnico é a NBR 10647. Seu objetivo é definir a nomenclatura. Ela define os tipos de desenho (projetivos e não projetivos), o grau de elaboração (esboço, croqui, desenho preliminar, desenho definitivo), de pormenorização (desenho de componente, de conjunto, detalhe), o material utilizado (lápis, giz, carvão, etc.) e a técnica de execução(à mão livre ou computadorizado).

Já NBR 10068 define o tipo de folha de desenho, lay-out e dimensões e irá padronizar as folhas, com margens e legendas. Esses papéis especiais, da série A, são usados de acordo com a norma, tanto na vertical, quanto na horizontal, preferencialmente com o menor formato.

As normas citadas são um conjunto de normas específicas. Veja mais no quadro:
 
Norma
  Referência
NBR 10582 Apresentação da folha para desenho técnico.
NBR 13142 Desenho técnico, dobramento de cópias.
NBR 8402 Execução de caracteres para escrita em desenhos técnicos.
NBR 8403 Aplicação das linhas em desenhos, tipos, larguras.
NBR 8196 Emprego de escalas.
NBR 12298 Representação de área de corte por meio de hachuras em desenhos.
NBR 8404 Indicação do estado de superfície em desenhos técnicos.
NBR 6158
 Sistemas de tolerâncias e ajustes.
NBR 8993 Representação convencional de partes roscadas em desenho técnico.
NBR 10126
 Cotagem em desenho técnico.

Existem, ainda, várias normas que regulam os desenhos na Engenharia. Consultando o catálogo da ABNT, você encontrará várias outras normas do Desenho Técnico.